Fôlha da Tarde

Edição Esportiva

Porto Alegre, Segunda-feira, 30 de Julho de 1951

DERROTADO O INTERNACIONAL EM URUGUAIANA

Decepcionou a equipe campeã do Estado, que não revelou nem si quer espírito de luta, conformando-se com a derrota na etapa final – Detalhes – 3 a 1 o escore.

URUGUAIANA, 29 (Do correspondente) – Perante uma grande assistência, como igual ainda não foi vista nesta cidade, o Uruguaiana venceu o Internacional dessa capital pelo escore de 3 a 1. O prélio, realizado no Estádio da Baixada, apresentou um triunfo justo dos auri-negros, que estiveram numa grande tarde. Toda a equipe local jogou bem, salientando-se porém Basílio, Xisto, Robales e Paye. Na equipe metropolitana, todos andaram mal. Não há, lamentavelmente, nenhuma figura a destacar, pois os colorados não confirmaram o cartaz de que vieram precedidos em nenhum momento, apesar das diversas modificações que tentaram no ataque, no final. O que mais impressionou, porém, na equipe do Internacional foi a ausência absoluta de espírito de luta pois, no segundo período, quando o escore lhe era adverso, jamais reagiu. Ao contrário: conformou-se com o resultado do prélio.

O escore foi aberto por Paye, em linda jogada individual. Iludiu Odorico e Florindo e cobriu Everton, que saíra ao seu encontro. Isso foi aos 31 minutos. Quatro minutos após, Paulinho, concluindo linda trama com Mujica empatou.

Aos 40 minutos Ghizoni introduziu a bola no arco colorado, num salto magistral e ao arrematar um córner batido por Correntino. Com 2 a 1 para os locais terminou o primeiro tempo. No período complementar, Migues, emendando, de cabeça um centro de Correntino, marcou o terceiro goal dos locais. Nessa fase, o árbitro anulou um goal de Mujica. Os quadros formaram assim: Uruguaiana – Oberdan, Basílio e Xisto; Júlio (depois Samuel), Robales e Ubaldino; Correntino, Carbonilla, Ghizoni, Paye e Migues (depois Geadinha). Internacional – Everton; Florindo e Ilmo; Odorico, Salvador e Ruaro; Mujica, Paulinho, Huguinho, Oreco e Carlitos. Atuaram, ainda, na equipe porto-alegrense, Alberi, Valdir, Oscar e Enio. O árbitro Romeu Viola teve desempenho regular. A renda ultrapassou os 30.000 cruzeiros.